Há algum tempo vemos um tipo de comportamento se repetir em todo o mundo. Pessoas descontentes, tensas e doentes, que não produzem e que, pior do que isso, não criam.


A apatia, o desânimo e a dificuldade de se automotivar fazem de pessoas qualificadas, medíocres apertadores de botão, que reclamam do chefe, do colega de trabalho, dos governantes, da vida e se proclamam perseguidos pelo mercado de trabalho.


O que falta a eles então? Falta bháva! Sentimento, conduta, amor, inclinação da mente. Ou seja, falta a atitude de querer alegrar o ambiente em que se está inserido, fazendo pequenos gestos transformarem-se em estímulo motivacional.


A seriedade e a alegria não são mutuamente excludentes. Podemos ser pessoas contagiantemente alegres e, ao mesmo tempo, seriíssimas dentro dos preceitos comportamentais que regem a vida em sociedade.


Trabalhar para construir seus sonhos é um exemplo de bháva comparado ao trabalhar só para ganhar dinheiro.


Transforme seu ambiente, seu trabalho, sua vida. Tire o sorriso amarelo na hora de dizer “bom dia” e coloque atitude. Coloque bháva e pare de reclamar.