MENTALIDADE DE ALTA PERFORMANCE

Alta performance no esporte, no trabalho, em casa, na alimentação. Nunca se usou tanto o termo "ALTA PERFORMANCE" quanto nos últimos quatro anos. Pelo visto, o conceito vem ganhando muitos adeptos e uma infinidade de marcas e pessoas que se definem especialistas no assunto. Na minha profissão tenho a oportunidade de conhecer pessoas que realmente vivenciam suas rotinas com um desempenho impressionante: são atletas campeões mundiais, empresários que, além de gerenciar cinco, seis e até dez empresas gigantes ainda se dedicam aos treinos em seus esportes por quatro horas diárias. Caras que se alimentam de forma exemplar e alguns que fazem jejuns de até 40 horas semanais.

Meu aluno e amigo Marcos Mottamavi, por exemplo, acorda diariamente às 4h da manhã para fazer sua meditação e começar sua rotina de alimentações conscientes, treinos pesados e o gerenciamento de seus negócios pelo mundo a fora (vale a pena seguir o cara no Instagram, pois sua disciplina é admirável: @marcosmottamavi). Não faltam exemplos de ações que podem ser consideradas de "alta performance humana". Mas só eu tenho a impressão que apenas pessoas com hábitos quase sobre-humanos, - alguns até bizarros – conseguem se enquadrar no conceito de alta performance? Eu defendo que NÃO EXISTE um padrão exato ou um lugar no paraíso que defina se você tem ou não alta performance! Isso tudo é marketing criado ao redor de uma expressão bonita. Alta performance não é uma dádiva. O que existe é um mindset - ou uma atitude interna, dizendo de forma mais simples – em que você se compromete a buscar, todos os dias, melhorar como ser humano em cada área em que está envolvido.

Essa atitude não se restringe a ser um profissional melhor, mas uma pessoa melhor em sua totalidade: uma pessoa que tenta ser mais autêntica a cada dia, que consegue ajudar mais pessoas, que tem mais sensibilidade e lucidez, que gerencia melhor o seu tempo, emoções, relações humanas, alimentação, saúde, pensamentos, intelecção, e assim por diante. É claro que essa mudança de atitude requer treino, exige que você saia da inércia e busque formas de romper os limites internos, para expandir as suas inteligências ao máximo. Esse comportamento pode ser desenvolvido do zero, porém, é preciso ter força e foco para alimentá-lo e sustentá-lo diariamente!